Projeto Agente Digital realiza formação em saúde digital para agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias

Ação é coordenada pela UFPE, por meio do Núcleo de Telessaúde (Nutes), e financiada pela Sudene

O projeto Agente Digital foi lançado, na manhã da quarta-feira(12), em cerimônia transmitida pelo YouTube. A iniciativa visa a capacitar servidores de diversos municípios para Formação em Saúde Digital para Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE). A ação é coordenada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), por meio do Núcleo de Telessaúde (Nutes), e financiada pela Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

O trabalho visa a preparar os profissionais para a transformação digital na saúde, intensificada no contexto da pandemia da Covid-19, contribuir para o desenvolvimento regional e ampliar o acesso da população ao Sistema Único de Saúde (SUS). “[Na pandemia], a saúde digital passou a ser o principal instrumento de comunicação com a sociedade porque ela trouxe possibilidade de acesso para a população que não seria possível por conta do distanciamento e isolamento social”, explicou a coordenadora do projeto Agente Digital e do Nutes-UFPE, Magdala de Araújo Novaes. “Ficou cada vez mais evidente a necessidade da incorporação das tecnologias da informação para que o sistema desse respostas rápidas à população e de maneira correta e com qualidade”, completou.

Nesta perspectiva, o projeto realiza um curso autoinstrucional, na modalidade a distância, com cinco módulos: Introdução ao Ambiente Virtual de Aprendizagem; Introdução à Saúde e Tecnologias Digitais; Registro Eletrônico de Saúde; Telessaúde e Telemedicina; e Responsabilidade nas Práticas de Saúde. A carga horária total será de 40 horas, a serem cumpridas em até três meses. O edital de seleção para o curso será lançado em junho. Além disso, haverá uma teleconsultoria pós-curso, durante três meses, inserida na rotina dos profissionais. Esse suporte pretende promover a saúde digital nas comunidades por meio de ações que abordem seu uso e seus benefícios. 

Ao todo, serão disponibilizadas duas mil vagas para municípios localizados nos estados de Pernambuco (250 vagas), Bahia (300 vagas), Ceará (169 vagas), Paraíba (250 vagas), Maranhão (170 vagas), Alagoas (70 vagas), Sergipe (60 vagas), Piauí (356 vagas), Rio Grande do Norte (125 vagas), Minas Gerais (200 vagas) e Espírito Santo (50 vagas). Os grupos serão divididos em quatro turmas de 500 alunos cada.

Para o reitor da UFPE, Alfredo Gomes, o projeto é uma iniciativa de grande porte, que trabalha a formação de profissionais e traz impactos permanentes na promoção da saúde e na melhoria da qualidade de vida da população. “É um curso fundamental para esse processo de construção de um país saudável, de um país sustentável”, defendeu.

“A transformação digital vem facilitar essa exportação de conhecimento para além da universidade, e nós exportarmos esse conhecimento gerado para profissionais da atenção básica, que são aqueles que estão na linha de frente com o cidadão, com o paciente, é de fundamental importância”, afirmou o superintendente do HC-UFPE, Luiz Alberto Mattos. O hospital abriga fisicamente o Nutes.

O professor Silvio Caldas, diretor do Centro de Ciências Médicas (CCM) da UFPE, ao qual o Nutes está ligado, também ressaltou a importância do projeto para o desenvolvimento regional. Segundo ele, o trabalho insere-se no panorama de revolução digital aplicada à saúde e ajuda a vencer desafios neste novo cenário.

O superintendente da Sudene, Evaldo Cruz Neto, disse que, apesar da difícil situação da pandemia, está sendo possível dar um passo adiante. “[Este momento] nos permitiu realizar uma qualificação na área [de saúde], promovendo exatamente esse agente digital, esse agente de saúde digital”. Com isso, são impulsionadas a modernização e a qualificação dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias.

A Sudene disponibilizou aproximadamente R$ 1 milhão para o projeto, por meio de Termo de Execução Descentralizada (TED). O Agente Digital está associado a outra iniciativa da autarquia, “+ Gestão Municipal”, apoiada pela ação orçamentária “Fortalecimento das Administrações Locais”, cujo objetivo é capacitar servidores de municípios selecionados.

PRESENÇAS – A cerimônia on-line de lançamento do projeto Agente Digital também teve a participação de Raimundo Gomes de Matos, diretor de Planejamento e Articulação de Políticas da Sudene; Ilda Angélica Correia, presidente da Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde (Conacs); e Giovanni Freire da Silva, agente comunitário de saúde.

 (Texto: Assessoria de Comunicação da UFPE)

Projeto Agente Digital realiza formação em saúde digital para agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias
Classificado como:                                

2 opiniões sobre “Projeto Agente Digital realiza formação em saúde digital para agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias

  • 13 de maio de 2021 em 22:56
    Permalink

    Como faço para me inscrever no curso

    Resposta
    • 14 de maio de 2021 em 08:57
      Permalink

      OI, Claudemir! Tudo bem? Em breve divulgaremos mais informações, para que você não perca nenhuma informação, sugiro que siga nossas redes sociais! Obrigada pelo interesse, esperamos em breve tê-lo conosco.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Contato

(81) 2126-3903 +558121263903 contato@nutes.ufpe.br UFPE - Hospital das Clínicas, 2º andar
Av. Prof. Moraes Rego, nº 1235, CEP: 50670-901 CDU - Recife, PE

Newsletter


Cadastre seu e-mail para receber mais informações sobre os produtos e serviços do NUTES